domingo, 22 de outubro de 2006

O Nosso Mundo



Estava a ler a minha aula de Biofísica, sim de Biofísica, e dei-me conta que há mais pessoas preocupadas com aquilo que os governos gostam de educadamente chamar de "desenvolvimento sustentável". Fiquei a saber que a População Mundial duplica de 40 em 40 anos, embora o número tenha tendência a descer, e ao mesmo tempo os recursos naturais - sim, aqueles que seguem o curso natural das coisas e não as tentam forçar com medicamentos e afins - não estão dispostos a acelerar o seu processo de crescimento por vontade do Homem!

Ora bem, este facto proporciona tablóides de jornal como este:
"Até 2015, morrerão 4,4 milhões de seres humanos menores de 5 anos"
Não é por nada mas isto até preocupa um bocadinho, só que como provavelmente não vai afectar o meu primo ou irmão mais novo que andam num infantário com as condições mínimas de higiene e apenas se preocupa com o brinquedo que vai receber pra semana... Talvez a preocupação não chegue a um estado epidémico na minha mente!
No entanto o problema da fome é uma epidemia e tente a alastrar!

No entanto e enquanto que por cá, nos países desenvolvidos, a coisa corre favoravelmente ainda temos tempo de fazer estudos e verificar que países como a Etiópia, Guiné-Bissau, Mali, Serra Leoa, Niger... constam no Ranking das Nações Unidas como os mais desfavoredidos. Novidade: aqueles países não são um bocado de Terra deserta, mas têm seres humanos a habitá-los em condições piores que o um cão vadio em Portugal.

Mas vamos ver as coisas com calma:
  • Fome: Neste momento o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento afirma não haver capacidade para reduzir a metade o nº de pessoas que vivem com menos de 1€ por dia ou em subnutrição na Ásia-Pacífico;
  • Educação: em 2015 haverá ainda 47milhões de crianças sem o ensino primário (e nós preocupados com que PC vamos comprar no Natal prós putos);
  • Género: ainda continua a haver desigualdades de ensino e oportuniades entre os sexos (depois de se terem queimado soutiens para provar iagualdade há mais de um século);
  • Maternidade: Cerca de 10,8milhões de crianças e 530mil mulheres em idade reprodutiva continuam a morrer todos os anos, apesar dos esforços para colmatar este facto;
  • VIH/Sida: milhões de vidas poderiam ter sido salvas se a comunidade internacional não tivesse ficado à espera que uma grave ameaça se tornasse uma crise declarada;
  • Água e Saneamento: mil milhões de pessoas esperam por ter este direito fundamental;

Eu não sei quanto a vocês mas perante estes e tantos outros números estatísticos e impossível ficar imparcial. E aí pensamos, vamos fazer qualquer coisa pra ajudar! E até podíamos, no entanto enquanto as 500 pessoas mais ricas do Mundo tiverem rendimentos correspondentes aos 460milhões de pessoas mais pobres da Terra, cheira-me que a balança vai continuar a estar minimamente desiquilibrada! (digo eu...)

Mas calma, os números não acabaram aqui, só mais um: 10,7 MIL MILHÕES de €uros é o valor de perdas anuais impostas aos países em desenvolvimento pelas políticas de proteccionismo agrícola e pelos subsídios que são prática corrente nos países desenvolvidos. (os cereais que são desperdiçados por estas medidas na Índia, serviriam para matar a fome no páis).

Não é por nada mas porque é que continuamos a chamar " Países em Desenvolvimento" se na verdade as políticas governamentais fazem questão que estes não cheguem a Desenvolvidos?

Outra pergunta que me surge assim por acaso: Para que serve o dinheiro?

Não é uma manifestação política ou governamental, mas apenas um olhar preocupado com o rumo que queremos traçar na História e herança a deixar aos nossos filhos.

Faço um apelo - Se leram e sentiram que o que escrevi faz sentido despertem outros para o fazerem, pode ser que mude alguma coisa! Construam uma cadeia pelo mundo.

HÁ SEMPRE ESPERANÇA...

2 comentários:

João Luís disse...

Já somos dois...
Juntos...
Beijo

Rui Santiago cssr disse...

Carago, pá!

Juro que estou disposto a fazer a minha parte!!!
Beijinho e SHALOM